quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

No mundo das ideas sempre terão conseqüências praticas

Meu conflito com Islam não tem NADA a ver com experiências pessoais. Meu conflito com o Islam tem TUDO a ver com a cosmovisão do Islam e com os resultados desta cosmovisão quando aplicadas em uma sociedade. Meu conflito com o Islam é IDEOLÓGICO e RELIGIOSO em essência. 

Eu tenho centenas de amigos muçulmanos e nos conversamos diariamente sobre o Islam, suas crenças e suas praticas. Eles me respeitam, alguns ja abandonaram o Islam e se reconciliaram com Jesus, mas a grande maioria não tem respostas adequadas para defender as praticas de Mohammed.

Vamos dar uma olhada em alguns dos ensinos de Mohammed que contribuem para formar a COSMOVISÃO dos muçulmanos ao redor do mundo:

Ensinos de Mohammad:
1. Mohammed adotou costumes pagãos e os transformou em ensinos oficiais no Islam. Ele conquistou um templo pagão chamado Caaba e o transformou no centro religioso do Islam. NO desespero para fazer alguns convertidos, Mohammed também começou a imitar os Judeus na comemoração da Páscoa (Ashura em árabe = decimo­ dia) porem mais tarde disse que ja não era obrigatório. Antes ele orava em direção a Jerusalem. O templo em Jerusalem era o símbolo da presença de Deus na terra e foi construído somente para a adoração do Deus único. Mas os Judeus e Cristãos rejeitaram que Mohammed era profeta (logo seria um falso profeta). Mohammed os perseguiu e aparentemente Allah se mudou de endereço de Jerusalem para a Arábia Saudita e começou a habitar em um templo pagão onde 360 ídolos habitavam.  

Narrado por Abdullah bin Masud: O Profeta entrou em Mecca e (naquele tempo) haviam 360 ídolos ao redor da Caaba. Ele começou a bater [quebrar] nos ídolos com um bastão que tinha em sua mão e a recitar: “A verdade (Islam) chegou e a falsidade (descrença) pereceu.” Bukhari 3:43:658

Narrado por Asim: Eu perguntei para Anas bin Malik: “Voce não detestava fazer Tawaf [ritual da peregrinação] entre a montanha Al-Safa e a montanha Al-Marwa?” Ele disse, “Sim, porque isso era uma das cerimônias dos dias PRE-ISLAMICOS, do período da ignorância [jahiliyyah], até que Allah revelou: “verdadeiramente, as colinas de Assafa [Al-Safa ] e Almarwa  [Al-Marwa] fazem parte dos rituais de Allah. Então não cometerá pecado quem fizer a peregrinação para a Caaba, ou cumprir a umra, ou fizer a  Tawaf entre elas. (Quran 2.158) Bukhari Volume 2, Livro 26, Numero 710

Veja bem, o próprio Allah mudou de ideia (logicamente foi Mohammed quem colocou as palavras na boca de Deus) e transformou um templo pagão no novo centro religioso da sua nova religião. Como isso contribuiu na cosmovisão Islamica? 

Simples isso afetou a doutrina da imutabilidade de Deus “Pois eu, o Senhor, não mudo;” Malaquias 3:6-7. Deus no Islam pode mudar de ideia a qualquer momento. Ele revela o Alcorão que contradiz os escritos anteriores na Biblia. Allah não esta preso as suas promessas e nem a sua própria Palavra. Ele pode quebra-las quando ele bem quiser, ou seja, Allah não se parece nada com o Deus da Bíblia que disse com respeito ao Templo de Jerusalem:

“E o Senhor apareceu de noite a Salomão e lhe disse: Eu ouvi a tua oração e escolhi para mim este lugar para casa de sacrifício.... Pois agora escolhi e consagrei esta casa, para que nela esteja o meu nome para sempre; e nela estarão fixos os meus olhos e o meu coração perpetuamente.” 2 Crônicas 7:12-17
  
Isso prova que Mohammed também se apropriou dos rituais pagãos dos Arabes e os tornou parte essencial da sua nova religião Islâmica. O Ramadan, a peregrinação do Hajj, e rodear a Caaba eram todos rituais pagãos que foram Islamizados. Ele aceitou todos estes rituais e ainda deu exemplo de como beijar “a pedra preta”, mas ele nunca explicou para ninguém a razão para se fazer isso.

Depois eu comento mais sobre os seguintes tópicos (se vocês quiserem que eu de prioridade a um destes temas abaixo, por favor, recomende):
  • Ele se casou com uma garotinha de 6 anos e a deflorou quando ela tinha 9 anos.
  • Ele usou seu deus para fazer o seu próprio filho adotivo se divorciar da sua esposa Zainab para que ele pudesse ficar com ela. Sura 33:37
  • Se casou com muito mais mulheres do que a sua religião permitia e usou o seu deus para inventar uma boa desculpa para isso. Sura 4:3
  • Ele teve um caso com uma escrava chamada Maria e suas esposas o acusaram. Sura 66:1-3
  • Ele ao principio acreditava que as revelações que ele recebia eram demoníacas.  
  • Por causa disso, ele tentou cometer suicídio varias vezes.
  • Ele recebeu revelações de Satanás e não percebeu que Satanás tinha introduzido versos no Alcorão. Ele promoveu o politeísmo mas depois culpou satanás por te-lo feito desviar do monoteísmo.
  • Ele também foi enfeitiçado e sofreu por um ano os efeitos deste feitiço pensando que fazia sexo com suas esposas mas nada acontecia.
  • Ele fortaleceu a sua carreira de profeta, roubando caravanas, roubando os bens dos Judeus e cristãos e dando para os seus seguidores.
  • Ele assassinou pessoas por discordarem dele e por rirem das suas revelações  
  • Ele decapitou centenas de Judeus  por terem resistindo a invasão Islamica e defender as suas casas e propriedades
  • Ele ensinou que o esposo pode bater nas suas esposas e fazer terrorismo psicológico para traze-las a submissão. Sura 4:33
  • Ele ensinou que Allah permitiu alugar prostitutas por algumas horas, pagar alguma coisa  e ainda chama-las de esposas.
  • Ele também ensinou que Allah não se importa quando um muçulmano estupra uma mulher cativa em guerra. Sura 4:24   
Por esta razão, saibam que "No mundo das ideas sempre terão conseqüências praticas". Ninguem pode escapar disso. 
Ate mais
Rafik

Um comentário:

  1. Excelente tópico, Rafik!

    Que a verdade continue sendo divulgada.

    ResponderExcluir

Façam os seus comentários, mas cuidado com a língua!