quinta-feira, 22 de março de 2012

O que Toulouse tem em comum com Realengo?


O que Mohammed Merah tem em comum com Wellington Menezes?


Daqui 2 semanas sera o primeiro aniversario do massacre de Realengo. Obviamente, ninguém quer comemorar esta data, mas é necessário se lembrar do acontecimento e refletir no que aconteceu ali. As lições do passado precisam ser aprendidas ou estaremos fadados a repetir os mesmos erros.
           
As semelhanças são mais profundas do que as diferenças entre o Wellington Menezes e Mohamed Merah.  

Ambos eram jovens garotos que tinham como motivação do crime a SEDE DE VINGANÇA. Ambos encontraram a força e a motivação para agir na ideologia Islâmica. Alguém grita: “EPA! Toda religião tem gente assassina”. Concordo, mas qual religião ensina que “incredulidade é pior do que matança?” Fitna pode ser traduzida de varias formas: rebelião, caos, incredulidade, corrupção, desordem, tentação etc, mas o importante é notar que a vida humana tem menos valor do que a religião islâmica.  

Vamos ver como os próprios muçulmanos usam a palavra FITNA:
“Eu fui comandado a lutar contra o povo ate que eles digam: Não ha outra deidade que mereça ser adorada alem de Allah. [Sahih al-Bukhari and Sahih Muslim]. Esta tradição é verdadeira e o significado indisputável. Ela mostra que TAWHID é UM, não é TRÊS (ele se refere a Trindade). Isto é, a divisão em três daquilo que é UM, é uma das INOVAÇÕES (esta palavra em árabe para HERESIA) destes desinformados que CRIAM FITNA entre os muçulmanos que é um remanescente das disputas dos Bizantinos.”

O autor desta frase, se refere a FITNA o simples fato de discutir sobre a TRINDADE. Desde que Mohammed disse na Sura 2:191 que “Fitna é pior do que Matança” entao fica claro o porque ele adicionou a tradição que diz que Mohammed foi “comandado a lutar contra o povo ate que eles digam: Não ha outra deidade que mereça ser adorada alem de Allah”. Ou seja, FITNA terminara no dia em que o mundo se converter ou se submeter ao Islam. Sera que isso é tão difícil de se ver?

De volta as semelhanças entre o Wellington e o Mohamed Merah: Ambos queriam ter matado mais gente e com brutalidade. Mohamed Merah disse que: “Se arrependia de não ter matado mais gente”. Ambos premeditaram o crime em detalhes: O Wellington filmava a si mesmo explicando o motivo da sua raiva, enquanto que Mohamed queria filmava as mortes.

Eles não tiveram um ataque subto de raiva e começaram a matar. O Wellington foi possivelmente treinado e doutrinado ideologicamente em alguma mesquita (ele da evidencias disso nas suas cartas) e nas websites Islâmicas e o Mohamed foi doutrinado desde o berço em um lar muçulmano, foi também treinado no Afeganistão.

As diferenças mais marcantes é que no Brasil, o terrorista islâmico foi chamado de psicopata, enquanto que na França terrorismo é chamado de terrorismo. As autoridades da Franca são competentes para lidar com o crime religioso enquanto que no Brasil a incompetência é a nossa “marca registrada”. Minha única esperança agora é que o Tiririca se eleja presidente da republica e a gente se torne uma nação de ABESTALHADOS de uma vez por todos.

Somente para vocês terem uma idéia da profundidade do nosso problema, eu retirei algumas das sentenças da reportagem feita por Eliane Brum na Revista ÉPOCA (Islã cresce na periferia das cidades do Brasil).

Sera que ninguém se alarma com a declaração que os muçulmanos querem formar um estado dentro do próprio estado? Não é exatamente este mesmo raciocínio o que os narcotraficantes usam e praticam nos morros do Rio e das capitais brasileiras? Estas declarações podem ser toleradas quando elas se vestem em uma roupagem religiosa? “A força do levante dos malês inspira os novos muçulmanos do gueto. Muitos sonham com um estado islâmico no Brasil – “ainda que seja um estado dentro do Estado”.

Prestem atenção no tom da MOTIVAÇÃO destes indivíduos para a conversão ao Islam. O resultado é surpreendente. A própria Eliane Brum matou a charada logo de cara: “Eles se inspiram em Malcolm X e acreditam que o 11 de setembro divulgou o islã entre os oprimidos”. Ou seja, a violência do 11 de Setembro motivou aqueles que tem propensão a violência. Na visão deles, os ensinos de Jesus não inspira aos oprimidos se libertarem. Jesus esta então do lado do opressor na ideologia islâmica.

O islam se torna um tipo de “filosofia comunista com uma linguagem religiosa”. Porque vocês acham que a grande maioria dos convertidos ao Islam eram esquerdistas ou comunistas?

Depois eu continuo ...
Ate mais
Rafik 

3 comentários:

  1. Você é realmente um especialista em encontrar pelo em ovo ou chifre em cabeça de cavalo fazendo essas comparações.

    Mas seguindo o mesmo raciocínio, o Cristianismo também tem suas crias assassinas...

    Veja o maníaco da cruz, ele colocava as vítimas em posição de crucificação para que elas “encontrassem o seu Deus”, segundo ele, nessa posição, a “salvação viria logo”.


    http://robsonslip.blogspot.com.br/2011/11/o-maniaco-da-cruz.html

    http://www.correiodoestado.com.br/noticias/maniaco-da-cruz-e-psicopata-e-nao-se-arrepende-diz-psiquiat_132522/

    http://www.correiodoestado.com.br/noticias/maniaco-da-cruz-prestes-a-ganhar-a-liberdade-teme-ser-morto_126260/

    http://www.correiodoestado.com.br/noticias/liberdade-do-maniaco-da-cruz-deve-ser-julgada-na-proxima-sem_128361/

    Certamente, você vai usar sua mente maquinadora para encontrar indícios de que esse maníaco da cruz era muçulmano.

    Vou esperar para ver qual mentirada você vai contar agora.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anildo,
      Me encontre UM UNICO verso da Biblia comandando fazer o que o maniaco fez. E eu tiro todo o meu blog e ate me converto a sua ridícula religião.

      Do contrario eu posso postar CENTENAS de versos do Alcorão comandando voces a matarem por causa da religião do outro nao ser a mesma.

      Aceita meu desafio? Ate breve
      Rafik

      Excluir
  2. Concordo e escrevi o mesmo em meu blog: o dia que alguém me mostrar um muçulmano que não é "extremista", que pregue a paz e a fraternidade eu me converto IMEDIATAMENTE ao islã! Ora, se um cristão mata em nome de Jesus TODOS podem dizer seguramente que ele não é um verdadeiro cristão. Agora, se um muçulmano age no extremismo, só se pode dizer que ele é um fiel cumpridor do Alcorão.

    ResponderExcluir

Façam os seus comentários, mas cuidado com a língua!